Bob Arum aponta Fury x Wilder III antes de Fury x Joshua

Bob Arum aponta Fury x Wilder III antes de Fury x Joshua

Segundo empresário norte-americano, terceiro duelo entre os pesos pesados deverá ocorrer nos Estados Unidos (sem público) ou na China (com público) entre novembro e dezembro

Wilson Baldini Jr.

08 de junho de 2020 | 16h32

 

O empresário Bob Arum afirmou, nesta segunda-feira, que pretende organizar a terceira luta entre Tyson Fury e Deontay Wilder antes de Fury contra Anthony Joshua. “Vamos seguir um contrato. Temos de fazer a terceira luta. Ela será nos Estados Unidos (sem público) ou na China (com público|) entre novembro e dezembro.”

Fury e Wilder empataram no primeiro duelo em dezembro de 2018. No combate de fevereiro passado, o britânico venceu por nocaute técnico no sétimo assalto, conquistando o cinturão do Conselho Mundial de Boxe, que era de Wilder desde 2015.

Arum reconhece que um duelo entre os britânicos Fury e Anthony Joshua é o mais aguardado na atualidade, mas aponta este duelo apenas para 2021. “É assim que as cartas viram. Será um evento interessante para qualquer parte do mundo.”

Sem Fury de imediato, Joshua deverá defender o cinturão da Federação Internacional de Boxe, diante do búlgaro Kubrat Pulev, primeiro do ranking. Joshua também detém os cinturões da Associação Mundial e Organização Mundial de Boxe.

Arum demonstrou toda a sua insatisfação quando perguntado de um duelo entre Tyson Fury e o veterano Mike Tyson, que, aos 53 anos, tem revelado seu desejo de voltar aos ringues. “Se for uma luta séria, não irei participar, pois poderá ser algo mortal. Mike Tyson foi um grande lutador, mas está na casa dos 50 anos e não tem mais condições de lutar com os rapazes de 30. Um duelo fantasia sou favorável e acho ótimo um evento por caridade.”

Arum organiza pela primeira vez após quase quatro meses um evento, nesta terça-feira, no Hotel MGM, em Las Vegas. Uma de suas atrações, a boxeadora Mikaela Mayer não vai poder participar, pois foi flagrada no exame para covid-19.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: