Boxe brasileiro lamenta a morte de Newton Campos

Boxe brasileiro lamenta a morte de Newton Campos

Popó, Patrick Teixeira, Robson Conceição, Esquiva Falcão e Yamaguchi Falcão falam do legado deixado pelo jornalista e dirigente, que morreu na segunda-feira

Wilson Baldini Jr.

15 de fevereiro de 2022 | 12h49

 

Figuras importantes do boxe brasileiro lamentaram a morte do jornalista e dirigente Newton Campos. Eder Jofre e Adilson Maguila Rodrigues, que estão doentes, foram informados por seus familiares, mas não fizeram comentários.

O tetracampeão Acelino Popó Freitas, que conhecia seu Newton há 30 anos, falou da tristeza pela perda da importante figura do boxe brasileiro. “Seu Newton foi o cara que levantou o boxe do Brasil. Esteve na minha luta com Casamayor, sempre me incentivando demais. Vai deixar muita saudade para todo mundo. Deus o tenha em bom lugar.”

Patrick Teixeira, o último lutador nacional a ser campeão mundial, também  deixou sua mensagem. “Hoje o boxe brasileiro e internacional perde uma pessoa maravilhosa: seu Newton Campos. Jamais será esquecido, peça fundamental do nosso boxe. Meus pêsames e condolências a toda família.”

O campeão olímpico Robson Conceição foi outra a fazer um comentário. “Seu Newton foi o grande ícone do boxe brasileiro. Revelou vários campeões com os torneios que organizava em São Paulo, incentivando o boxe. Um dia muito triste e de luto.”

Esquiva Falcão, que como Robson, está prestes a disputar o cinturão mundial, lembrou que começou no boxe por causa de Newton. “Ele foi a voz do boxe brasileiro. Representou o boxe, lutava para fazer campeões. Sempre valorizou os atletas. Meu primeiro campeonato foi na Forja dos Campeões e ele acompanhou a luta. Fiquei muito triste com a morte dele. O boxe brasileiro perdeu um grande fã”, disse o medalha de prata em Londres/2012

Bronze em Londres/2012, Yamaguchi, irmão de Esquiva,  agradeceu seu Newton. “Morreu um pedaço do boxe brasileiro. Seu Newton foi um cara que sempre acreditou no boxe. Ele tinha um carinho imenso pelos boxeadores, deixou um legado muito grande. Ele fazia o pessoal respirar boxe, fez os lutadores confiarem que poderiam ter resultados. Conheci seu Newton em 2006 e agradeço muito a ele, pois estou no boxe por causa dele.”

Managers do boxe nacional também fizeram suas homenagens. Patrick Nascimento, que cuida de Patrick Teixeira, foi um deles. “Perdemos o Sr Newton Campos, pessoa maravilhosa e excelente profissional, que tanto fez pelo nosso esporte dentro e fora do País, reconhecido mundialmente. Minhas condolências e votos de muita força para todos nesta hora difícil. Nunca estamos preparados para nos despedir para sempre. Esteja com Deus.”

Sergio Batarelli, representante da Top Rank no Brasil e conselheiro de Esquiva e Robson, fez seu comentário. “Ele foi de fundamental importância para o boxe brasileiro nacional e profissional. Na década de 80, eu fui secretário geral dele na Federação e trabalhamos para uma eleição. Ele era respeitado por todo mundo das antigas do boxe. Foi um dos poucos que dedicou sua vida ao boxe. Ele vai fazer muita falta, grande perda. Ele cumpriu sua missão com galhardia, para usar uma palavra do vocabulário dele. “Ele estava batendo na zona hepática’ foram algumas frases que marcaram. Tem coisa do Newton que vão ficar comigo para sempre.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.