Boxe brasileiro tem 35 dias para se colocar no cenário internacional da nobre arte

De 9 de março e 13 de abril, Yamaguchi Falcão, Rose Volante, Robson Conceição, Esquiva Failcão e Patrick Teixeira terão os maiores desafios de suas carreiras

Wilson Baldini Jr.

04 de março de 2019 | 01h14

 

O Brasil não pertence ao mundo do boxe. Apesar de estarmos ocupando algumas posições nos rankings das principais organizações da nobre arte, nossos lutadores não são citados nas listas dos melhores do mundo.

Os principais pugilistas nacionais da atualidade vão se apresentar de 9 de março a 13 de abril. Além de vitórias, nossos atletas precisam de atuações atraenses para o público e empresários. E a melhor forma é obter nocautes impactantes. Só assim vão ganhar respeito e credibilidade.

O primeiro a subir no ringue vai ser Yamaguchi Falcão. O medalha de bronze em Londres-2012 luta dia 9, em Verona, Estados Unidos, diante do norte-americano Paul Mendez. Se vencer bem, o oitavo colocado no ranking dos médios do Conselho Mundial de Boxe (CMB) vai se colocar pelo menos em uma eliminatória para o título no confronto seguinte.

Dia15 de março será a vez de Rose Volante, campeã pela Organização Mundial de Boxe (OMB), se apresentar na Filadélfia, Estados Unidos. Ela vai encarar a irlandesa Katie Taylor, dona dos cinturões da Federação Internacional (FIB) e Associação Mundial de Boxe (AMB).

Todas as atenções estarão voltadas para este evento. Independentemente do resultado, uma grande atuação de Rose colocará a atleta nos principais eventos deste ano.

Esquiva Falcão e Robson Conceição lutam dia 31 de março, em Mangaratiba, no Rio. Com 22 vitórias, Esquiva, prata na Olimpíada de Londres-2012, terá pela frente o argentino Jorge Daniel Miranda. Um nocaute até o quinto assalto deverá animar ainda mais o empresário Bob Arum a colocar o brasileiro em uma disputa de cinturão dos médios ainda em 2019.

Campeão olímpico na Rio-2016, Robson vai encarar o também argentino Jorge Ariel Estrela. Se obtiver a 12ª vitória, o boxeador baiano deverá entrar no ranking dos superpenas e poderá recuperar o prestígio abalado pelas últimas fracas apresentações.

O médio-ligeiro Patrick Teixeira, quarto colocado no ranking da OMB, vai enfrentar Thomas LaManna, dia 13 de abril, em Monterrey, no México. Um triunfo rápido na preliminar do campeão Jaime Munguia poderá colocá-lo como o próximo desafiante ao título.

Por tudo isso, o momento é de total apoio e torcida por nossos representantes. O caminho é muito complicado, mas fazia muito tempo que a nobre arte nacional não vivia um momento tão importante.