Boxe de Cuba aposta em veteranos ‘mais pesados’ para somar pódios em Tóquio

Boxe de Cuba aposta em veteranos ‘mais pesados’ para somar pódios em Tóquio

Roniel Iglesias, Julio La Cruz, Lázaro Alvarez e Arlen Lopez levam toda sua experiência para os ringues do Japão

Wilson Baldini Jr.

23 de julho de 2021 | 18h14

 

 

Cuba levou sete pugilistas para os Jogos Olímpicos de Tóquio na tentativa de ratificar sua condição de favorita a conquistar um bom número de medalhas. Para isso, reuniu um time de veteranos ‘mais pesados’. Três deles estão em categorias acima das quais fizeram sucesso em um passado recente.

São eles:

Roniel Iglesias – peso meio-médio (até 67 kg), 32 anos, bronze como meio-médio-ligeiro em Pequim/2008 e ouro em Londres/2012.

Julio La Cruz – peso pesado (até 91 kg), 31 anos, ouro como meio-pesado na Rio/2016, além de quatro vezes campeão mundial.

Arlen Lopez – peso meio-pesado (até 81 kg), 28 anos, ouro na Rio/2016 e campeão mundial como peso médio.

A equipe ainda conta com o superpesado (acima dos 91 kg) Dainier Pero, de 21 anos, campeão pan-americano em Lima/2019; Yosbany Veitia (mosca até 52 kg), de 29 anos; Andy Cruz, peso leve (até 63 kg), de 25 anos, campeão pan-americano e mundial; e o talentoso Lázaro Alvarez – peso pena (até 57 kg), 30 anos, bronze nas duas últimas olimpíadas.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeCuba#Tokyo2020

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.