Brutal, Canelo massacra Fielding e coloca seu nome entre os maiores boxeadores mexicanos da história

Brutal, Canelo massacra Fielding e coloca seu nome entre os maiores boxeadores mexicanos da história

Ao ganhar título em três categorias, ele se juntou a Chavez, Morales, Barrera, Arce, Marquez, Soto, Montiel e Santa Cruz

Wilson Baldini Jr.

16 de dezembro de 2018 | 04h42

 

 

 

O britânico Rocky Fielding não foi páreo para Saúl Canelo Álvarez, neste início de madrugada de domingo, no Madison Square Garden, em Nova York. Com uma tática suicida, ao aceitar trocar golpes, o boxeador de Liverpool foi presa fácil e caiu quatro vezes em três roundes, diante de um adversário brutal, arrasador, nocauteador.

Canelo, que fora campeão dos médios-ligeiros e detém cinturão entre os médios, ganhou também entre os supermédios, o título da Associação Mundial de Boxe. Com o nocaute técnico aos 2min38 do terceiro assalto, Canelo se juntou a Julio Cesar Chavez, Erik Morales, Marco Antonio Barrera, Jorge Arce, Juan Manuel Marquez, Humberto Soto, Fernando Montiel e Leo Santa Cruz. Todos campeões mexicanos em três categorias.

Canelo volta a lutar dia 4 de maio. O adversário não está definido, mas opções é o que não faltam. “Vamos analisar com calma. Uma coisa é certa. Vamos atrás das grandes lutas”, disse Canelo, que cumprimentou em cima do ringue o norte-americano Daniel Jacobs, campeão dos médios pela Federação Internacional de Boxe, um dos possíveis adversários.

Uma terceira luta com o casaque Gennady GGG Golovkin não parece ser a prioridade para Canelo. “Para mim isso (luta com GGG) acabou em setembro, mas tivemos duas boas lutas. Se os fãs quiserem, podemos ter uma terceira”, disse Canelo, referindo-se aos duelos de setembro do ano passado e setembro deste ano, quando foram registrados um empate e uma vitória do mexicano.

Independentemente de qual luta seja organizada, o certo é que Saúl Canelo Álvarez iniciou muito bem o cumprimento de seu contrato de 11 lutas em cinco anos com a empresa DAZN, que pagou US$ 365 milhões, tornando o pugilista mexicano o atleta mais bem pago do planeta.