Com toda justiça, Beatriz Ferreira ganha o Prêmio Brasil Olímpico 2019

Campeã mundial e pan-americana, boxeadora prometeu representar muito bem o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano que vem

Wilson Baldini Jr.

10 de dezembro de 2019 | 23h39

 

Campeã pan-americana e mundial, a boxeadora Beatriz Ferreira conquistou, nesta terça-feira à noite, o Prêmio Brasil Olímpico, em cerimônia realizada no Rio. Com a fasrda da marinha, a pugilista superou Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, e Nathalie Moellhausen, da esgrima.

“Este ano foi incrível. Estou realizada. Tóquio está logo ali, e pretendo realizar esse feito lá (de ser campeã). Acreditem em mim que vou representar bem o Brasil em Tóquio”, afirmou a lutadora. “A minha equipe está arrebentando! Estamos bem preparados. Estamos focados e sabemos o que queremos. As mulheres estão dominando, desculpe os homens, mas as mulheres estão arrasando. Fico muito feliz de saber que ganhei contra meninas superboas como a Ana Marcela e Nathalie.”

O boxe conquistou mais um prêmio: o de melhor técnico em esportes individuais, com Mateus Alves, treinador de Bia Ferreira. ” É uma comissão, um grupo de pessoas. Ninguém ganha sozinho. Não é só o atleta, nem só o treinador. Tivemos um ano ótimo, eu e ela acreditávamos na conquista do mundial. Ela merece. O boxe olímpico precisa ser valorizado, é um trabalho sério, com nomes e sobrenomes.”

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.