De muletas, Anthony Joshua participa de manifestação: ‘Estamos juntos na luta contra o vírus do racismo’

De muletas, Anthony Joshua participa de manifestação: ‘Estamos juntos na luta contra o vírus do racismo’

Campeão mundial dos pesados da AMB, OMB e FIB sentiu dores no joelho esquerdo e deverá diminuir suas atividades nas próximas quatro a seis semanas

Wilson Baldini Jr.

06 de junho de 2020 | 17h56

Anthony Joshua, campeão mundial dos pesos pesados, versão Associação Mundial, Federação Internacional e Organização Mundial de Boxe, participou, neste sábado, de um protesto do movimento Black Lives Matter, que condena a discriminação racial e o abuso contra os negros nos Estados Unidos, desde a morte de George Floyd por um policial branco, em Menneapolis.

O movimento se tornou mundial e, em Watford, cidade natal de Joshua, houve uma grande manifestação. “Não podemos mais sentar e permanecer calados diante desses assassinatos ilegais e sem sentido e diante desse racismo de um ser humano para outro, com base em quê? Apenas na cor de sua pele”, disse Joshua. “Precisamos falar em manifestações pacíficas, como hoje, bem feita em Watford. Não devemos usar uma demonstração para fins egoístas e transformá-la em tumultos e saques.”

Joshua comparou o racismo à atual pandemia da covid-19 que assola o mundo. “O vírus foi declarado uma pandemia”, disse Joshua. “Isso está fora de controle. E não estou falando da covid-19. O vírus de que estou falando se chama racismo. Estamos juntos contra um vírus que foi fundamental para tirar vidas. Leva a vida de jovens, velhos, ricos, pobres; é um vírus que não se arrepende e que se espalha em todos os setores.”
Joshua estava de muletas e com uma proteção no joelho esquerdo. O pugilista disse que era uma precaução por ter tudo dores durantes os treinos. Segundo a imprensa britânica, o campeão deverá diminuir o ritmo de suas atividades nas próximas quatro a seis semanas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: