Deontay Wilder, assim como Neymar, não sabe da sua importância para o esporte

Ambos são astros em suas modalidades, mas não possuem comportamento adequado quando não estão em ação

Wilson Baldini Jr.

17 de maio de 2019 | 13h01

 

“Este é o único esporte (boxe) em que você pode matar um homem e ser pago por ele ao mesmo tempo. É legal.” Com esta frase idiota, o peso pesado Deontay Wilder encerrou a entrevista coletiva de quarta-feira para a sua luta de sábado contra Dominick Breazeale, na qual vai defender pela nona vez o título mundial dos pesos pesados, versão Conselho Mundial de Boxe, no Barclay’s Center, no Brooklyn, em Nova York.

“Eu vi os comentários de Deontay Wilder. Foram lamentáveis e completamente contra o espírito do nosso esporte. Eu conheço Wilder há muito tempo e ele não é a pessoa que ele retrata em tais comentários. Suas metáforas são contra o código de ética do CMB e serão abordadas em uma audiência”, disse Mauricio Sulaiman em suas redes sociais.

Guardadas as devidas proporções, Wilder lembra Neymar, que, de vez em quando, fala e faz umas bobagens fora dos campos. Os dois não sabem a importância que têm para suas modalidades. E não são mais garotos. Uma pena.