Deontay Wilder estuda a possibilidade de ganhar dez quilos para encarar Joshua e Fury

Deontay Wilder estuda a possibilidade de ganhar dez quilos para encarar Joshua e Fury

Norte-americano pesou "apenas" 96 quilos para a luta do dia 1º de dezembro, enquanto rivais britânicos ultrapassam os 110 quilos

Wilson Baldini Jr.

21 Dezembro 2018 | 19h42

 

O empate registrado na luta de 1º de dezembro, diante de Tyson Fury, poderá fazer o norte-americano Deontay Wilder alterar seu treinamento para os duelos futuros.

O dono do cinturão dos pesados do Conselho Mundial de Boxe tem a intenção de aumentar de peso. Frente a Fury acusou na balança apenas 96 quilos, contra 116 do rival.

A comparação é semelhante com o também britânico Anthony Joshua, campeão pela Associação, Federação e Organização Mundial de Boxe, possível adversário de Wilder em 2019. Em setembro, contra o russo Alexander Povetkin, Joshua pesou 111 quilos.

Neste sábado, Dillian Whyte e Dereck Chisora, britânicos que buscam a oportunidade de disputar um título mundial, vão se enfrentar e nesta sexta-feira os dois pesaram 112 quilos.

A equipe de Wilder ainda não definiu se haverá um ganho de peso, mas, se houver, poderá ser de no mínimo dez quilos. O plano é igualar o peso, pois a força na pancada todos apontam como vantagem para o boxeador dos Estados Unidos.