Em 2003, Roy Jones Jr. recusou US$ 40 milhões para defender título diante de Mike Tyson

Em 2003, Roy Jones Jr. recusou US$ 40 milhões para defender título diante de Mike Tyson

'Quando se ganha o título dos pesados, o sonho é encarar Mike Tyson. Tive uma nova chance e como posso dizer não? Vai ser divertido, perigoso, mas terei uma recompensa (dinheiro).'

Wilson Baldini Jr.

28 de julho de 2020 | 09h03

 

O duelo entre Mike Tyson e Roy Jones Jr., marcado como uma luta-exibição para 12 de setembro, poderia ter acontecido há 17 anos. Naquela época, Jones, então com 34 anos, havia conquistado de forma sensacional o título mundial dos pesos pesados, versão Associação Mundial de Boxe, ao derrotar, após 12 assaltos, o compatriota John Ruiz, em decisão unânime dos jurados.

Após a vitória, Jones recebeu uma proposta de US$ 40 milhões para enfrentar Mike Tyson, que tinha 37 anos e já não era nem sombra do lutador que assombrara o mundo nos anos 80 e 90. O Iron Man havia perdido em 2002 para Lennox Lewis, por nocaute, no oitavo assalto.

Durante a reunião para acertar detalhes da luta, Jones teria exigido mais dinheiro, o que não foi aceito pelos empresários. Com isso, ele abdicou do título e retornou para a categoria dos meio-pesados para enfrentar Antonio Tarver por menos de um quarto do valor.

“Quando você ganha o título mundial dos pesos pesados, o sonho é enfrentar Mike Tyson. Na primeira vez não chegamos a um acordo, mas agora tive uma nova oportunidade e como posso dizer não?”, perguntou o também ex-campeão dos médios, supermédios e meio-pesados no programa “The Luke Thomas Show”. “Vai ser divertido, mas também, vai ser perigoso, mas também vai ter uma recompensa (dinheiro).”

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

boxeRoy Jones Jr.Mike Tyson

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: