Esquiva Falcão critica Vasyl Lomachenko na derrota para Teófimo Lopez: ‘Boxe é sujo e corrupto’

Medalhista de prata em Londres-2012 considerou 'muito estranha' atuação do ucraniano nos primeiros sete rounds e disse que americano é uma atração mais lucrativa

Wilson Baldini Jr.

22 de outubro de 2020 | 07h48

 

Esquiva Falcão criticou muito Vasyl Lomachenko na derrota para Teófimo Lopez, sábado, em Las Vegas, por pontos. O medalhista de prata em Londres-2012 considerou ‘muito estranha’ atuação do ucraniano nos primeiros sete rounds. “Ele não lutou dez por cento do que pode.”  E disse que o norte-americano, de 23 anos, é uma atração mais lucrativa para os canais de televisão e empresários.

“É muito triste falar isso do boxe. Muita gente vai discordar, mas o boxe é sujo e corrupto”, afirmou o boxeador, em um vídeo em suas redes sociais. “Lomachenko tem 32 anos e López 23. Lomachenko não fala muito de suas vitórias. O López ‘vende mais’, desafia os adversários. A ESPN adora ele.” Esquiva não contestou o resultado e, em sua marcação, deu oito rounds a favor de López, três para Lomachenko e um empate.

Depois da luta, a equipe de Lomachenko anunciou que o lutador atuou com o ombro machucado e sofreu uma cirurgia na segunda-feira.

Esquiva viaja neste sábado para a Califórnia, nos Estados Unidos, onde inicia fase final de treinamento para a sua luta de 12 de dezembro, em Las Vegas. Ele ainda não tem adversário definido, mas poderá ser uma eliminatória pelo título mundial, pois o brasileiro está ranqueado nas quatro grandes organizações do boxe internacional.

Invicto como profissional, o canhoto Esquiva soma 27 vitórias, com 19 nocautes. Ele é 5º na Federação Internacional de Boxe (FIB), 6º na Organização Mundial dE Boxe (OMB), 7º no Conselho Mundial de Boxe (CMB) e 13º na Associação Mundial de Boxe (AMB).

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: