Esquiva Falcão toma cabeçada, leva 7 pontos, mas vence canadense e deve disputar o título mundial em 2022

Esquiva Falcão toma cabeçada, leva 7 pontos, mas vence canadense e deve disputar o título mundial em 2022

Duelo foi interrompido no sexto assalto e o brasileiro foi declarado vencedor em decisão dividida dos jurados: 58 a 57, 56 a 58 e 58 a 56

Wilson Baldini Jr.

21 de novembro de 2021 | 03h13

 

Esquiva Falcão venceu o canadense Patrice Volny por decisão dividida dos jurados (58 a 57, 56 a 58 e 58 a 56), neste sábado, no Mandalay Bay  Hotel, em Las Vegas, após interrupção do combate por causa de uma cabeçada que causou um corte bastante grande na testa do boxeador brasileiro.

Com a vitória, Esquiva é o desafiante oficial ao título mundial dos pesos médios, versão Federação Internacional de Boxe (FIB), cujo o campeão é Gennady GGG Golovkin, do Casaquistão, que vai colocra o cinturão em jogo dia 29 de dezembro, em Saitama, no Japão, diante do japonês Ryota Murata.

O empresário Bob Arum, dono da Top Rank, empresa que cuida da carreira de Esquiva, afirmou, em entrevista coletiva na quinta-feira passada,, que o vencedor entre Esquiva e Volny iria enfrentar o o ganhador do duelo entre GGG e Murata. Arum, desta forma, ratifica o que assinou em contrato com o lutador brasileiro. O compromisso era de três combates até o título. Esquiva realizou o segundo compromisso.

Esquiva, de 31 anos, soma 29 vitórias, com 20 nocautes. Aos 32 anos, Volny perdeu pela primeira vez, após 17 lutas, das quais venceu dez por nocaute.

Esquiva começou bem a luta, encurtando a distância e aplicando golpes em sequência. A iniciativa do brasileiro encurralou o canadense, que não teve como usufruir da maior envergadura.

Esquiva venceu bem os dois primeiros assaltos, mas o adversário passou a se movimentar mais e usar bem o direto em direta. Volny equilibrou a luta e foi melhor no quarto e quinto assalto, quando Esquiva até pareceu acusar alguns golpes.

No sexto assalto, com 2min18 de disputa, Volny acertou uma cabeçada no brasileiro, que sentiu muita dor. A luta foi paralisada e o médico examinou Esquiva. Como o corte era bastante profundo e grande, o duelo foi paralisado, mas a cabeçada foi considera involuntária.

Com isso, a decisão foi para as papeletas dos jurados, cujo marcação estava feita até o final do quinto assalto. Dois jurados apontaram Esquiva como vencedor (58 a 57 e 58 a 56) e outro viu o canadense vencedor por 58 a 56.

Esquiva foi para o vestiário e levou sete pontos. “Infelizmente, tomei uma cabeçada, estava bem na luta. Eu levei alguns golpes. O adversário, muito duro, invicto, perigoso, alto, estilo que complica, então busquei lutar na curta distância”, disse Esquiva.

“Eu estou feliz com a vitória, mas triste porque eu queria um resultado diferente, mas o importante é a vitória, vamos descansar, treinar mais esperar o campeão (GGG) lutar com o Murata.”

 

Tudo o que sabemos sobre:

boxeEsquiva Falcão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.