‘Esse garoto é muito, mas muito bom.’ Parabéns, Servilio de Oliveira pelos 72 anos!

A frase é do meu pai, em 1971, durante uma conversa com meu avô materno. Um elogio ao grande boxeador, após sua vitória sobre Tony Moreno, no Ginásio do Ibirapuera

Wilson Baldini Jr.

06 de maio de 2020 | 13h16

 

 

 

 

Um dos motivos que me levaram a gostar de boxe foi o fato de meu pai entender bastante da nobre arte. Uma vez escutei dele, durante uma conversa com meu avô materno:

“Fui no Ibirapuera ver um garoto. Ele é muito, muito bom”, disse seu Wilson, ao comentar a vitória de Servilio de Oliveira sobre Tony Moreno, em 3 de dezembro de 1971.

Anos depois, eu já como jornalista fui conversar com o véio de novo sobre o medalhista de bronze no México-1968. “O Eder foi incomparável. Mas só um cara poderia ter chegado a ser um segundo Eder: Servilio de Oliveira.”

Um problema na vista não deixou que o título mundial fosse conquistado. Mas não faz mal. Seu Servílio, que completa nesta quarta-feira 72 anos, sempre será lembrado com orgulho pelo boxe brasileiro. Parabéns, eterno campeão!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.