Estilo de vida vegano ajudou Tyson a superar trauma da morte da filha e a perder 50 quilos

Estilo de vida vegano ajudou Tyson a superar trauma da morte da filha e a perder 50 quilos

Rissoles de soja, brócolis e batatas assadas são parte do cardápio diário do ex-campeão mundial, que, aos 53 anos, consegue ter um físico semelhante aquele que tinha aos 20 anos.

Wilson Baldini Jr.

28 de maio de 2020 | 15h46

 

Em 2009, Mike Tyson estava com 150 quilos, entregue às drogas e ao álcool, quando sua filha Exodus, de quatro anos, morreu enforcada em uma esteira dentro de sua casa. “Queria morrer. Odiava viver. Tive semanas sem dormir. Descansava dez minutos e já estava pronto para mais um dia”, chegou a dizer o Iron Man.

Uma das coisas que ajudaram Tyson a mudar de vida foi a alimentação. Tyson se tornou vegano. Rissoles de soja, brócolis e batatas assadas foram alguns dos alimentos que o rejuvenesceram naquele momento ruim da vida e o deixam na forma espetacular com que se apresenta atualmente, quando anunciou o retorno aos ringues, aos 53 anos, para lutas-exibição.

Com 104 quilos, Tyson está muito perto do físico que o levou ao título mundial dos pesos pesados, em 1986, aos 20 anos de idade. Ele não quer mais lutar profissionalmente. Só quer ajudar pessoas carentes, pessoas muito parecidas com ele nas ruas do Bronx, em Nova York, onde passou a infância.

 

Tudo o que sabemos sobre:

boxeMike Tyson vegano

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.