Estilo ‘mexicano’ de lutar boxe passa por crise

Estilo ‘mexicano’ de lutar boxe passa por crise

Vitórias recentes de Shakur Stevenson, Dmitry Bivol e Jermell Charlo mostraram que para vencer na nobre arte é preciso usar o raciocínio além dos punhos

Wilson Baldini Jr.

15 de maio de 2022 | 13h33

Marcio Jose Sanchez/AP

 

 

O estilo ‘mexicano’ de lutar boxe, marcado pela agressividade, coragem e força de seus praticantes, que não precisam ser obrigatoriamente mexicanos, passa por crise.

As vitórias recentes de Shakur Stevenson, Dmitry Bivol e Jermell Charlo mostraram que para vencer na nobre arte é preciso usar o raciocínio além dos punhos. Antes, Anthony Joshua também usou tática semelhante para superar Andy Ruiz na revanche.

Neste sábado, Charlo mudou a estratégia utilizada na primeira luta diante do ‘briguento’ argentino Brian Castaño e venceu de forma sensacional, por nocaute, no décimo assalto.

O americano foi inteligente, contra-atacou o tempo todo, castigou a linha de cintura do rival e deu poucas possibilidades da distância ser encurtada durante os assaltos.

Será que o estilo e consagrou pugilistas como Marco Antonio Barrera, Erk Morales e tantos outros está ultrapassado?

Tudo o que sabemos sobre:

boxeJermell CharloBrian Castaño

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.