Exclusivo: Roberto ‘Manos de Piedra’ Duran lamenta aposentadoria de Popó e elogia Julio Cesar Chavez

Exclusivo: Roberto ‘Manos de Piedra’ Duran lamenta aposentadoria de Popó e elogia Julio Cesar Chavez

Em entrevista na Cidade do Panamá, ex-campeão mundial de quatro categorias diz que Saúl Canelo Álvarez é o maior boxeador da atualidade

Wilson Baldini Jr.

16 de maio de 2019 | 10h50

 

Roberto “Manos de Piedra” Duran falou com exclusividade ao Blog do Baldini nesta terça-feira, na Cidade do Panamá. Muito simpático, o ex-campeão mundial dos leves, meio-médios, médios-ligeiros e médios  contou histórias, palpitou sobre os astros atuais e elogiou os campeões brasileiros Eder Jofre e Acelino Popó Freitas.

“Popó não deveria ter se aposentado. Ele era um dos melhores de sua época. Um grande pegador. Com as duas mãos. Poderia ter lutado e ganhado muito mais”, afirmou o panamenho, que dia 16 de junho vai completar 68 anos. “As derrotas fazem parte da vida. Ele não deveria ter se abaldo por isso.”

Duran afirmou que viu muito pouco as lutas de Eder Jofre, mas o coloca entre os maiores pugilistas latinos de todos os tempos, ao lado do mexicano Julio Cesar Chavez e do argentino Carlos Monzón. Mas o maior de todos foi ele. “A revista The Ring me colocou em terceiro lugar, atrás de Muhammad Ali e Joe Louis. Puxa vida! O que mais posso querer na vida….”

Para Duran, Chavez foi o “segundo” maior da América Latina em todos os tempos. “Cada um em seu tempo. Chavez foi completo. Sabia enfrentar qualquer adversário.”

Na Cidade do Panamá, muitas são as homenagens ao maior esportista do país. Existe o “bairro Duran”, a “avenida Duran”, além de fotos espalhadas por toda a cidade. O destaque é uma bonita estátua no centro. “Não me considero herói. Sou apenas uma pessoa humilde, que venceu na vida e lutou para elevar o nome de seu povo.”

Duran possui uma lanchonete, uma academia e uma casa, que fica no meio de um grande grupo de prédios, onde vive com sua esposa Felicidad. “Ele só sairá desta casa morto”, disse um dos funcionários.” Impressiona a coleção de automóveis, estacionados na calçada. Três são Mercedes e duas BMWs.

Sobre os boxeadores atuais, Duran destaca o mexicano Saúl Canelo Álvarez. “Ele tem enfrentado os melhores e tem vencido. Você pode discutir algum resultado, mas não se pode negar a sua qualidade técnica. Trata-se de um grande campeão.”

Em breve, o blog contará outras histórias vividas na capital panamenha. Até lá!

 

 

Tendências: