Fãs de Tyson e Jones reagem à exibição de sábado como se ex-campeões tivessem descoberto a fonte da juventude

Atuações de gala do passado ainda estão presentes no subconsciente dos amantes da nobre arte, dando a sensação de que o tempo não passou

Wilson Baldini Jr.

26 de novembro de 2020 | 00h31

 

Inúmeras exibições já foram realizadas na história do boxe. A mais recente trouxe de volta aos ringues o lendário mexicano Julio Cesar Chávez, diante de seu compatriota Jorge Arce. São sempre grandes eventos, porém nunca se criou uma expectativa tão grande para que uma luta real fosse disputada ou a carreira profissional pudesse ser retomada como agora, com a exibição entre Mike Tyson e Roy Jones Jr.

O estilo intimidador e os nocautes rápidos que marcaram a carreira de Tyson ainda estão presentes no subconsciente de seus fãs, dando a sensação de que o tempo não passou e que a luta de sábado, no Staples Center, possa recolocar o Iron Man, aos 54 anos, no topo da categoria dos pesos pesados e em condições de recuperar o título mundial.

Tanto Tyson como Jones têm duas intenções com a luta de sábado. Além da ação beneficente de arrecadar dinheiro para pessoas carentes, ambos veem também a possibilidade de voltar ao noticiário, acertar contratos de publicidade e rechear as contas bancárias.

Nenhum dos dois tem mais idade, paciência ou saúde para retomar uma carreira profissional e desafiar “garotos” 25 anos mais jovens. Os “impressionantes” treinos de ataque de 20 segundos nas redes sociais não significam que  os dois cinquentões tenham mergulhado na piscina do filme “Cocoon”. (Para quem não conhece, no filme a piscina em questão possuía uma energia alienígena e resgatava a juventude de idosos moradores de um asilo).

Tudo o que sabemos sobre:

boxeMike TysonRoy Jones Jr.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.