Felix Verdejo afirma ser inocente na investigação por assassinato de ex-namorada grávida

Boxeador, de 27 anos, integrante da seleção de Porto Rico nos Jogos de Londres-2012, pode ser condenado à morte

Wilson Baldini Jr.

13 de maio de 2021 | 10h00

 

O porto-riquenho Felix Verdejo afirmou ser inocente das acusações que lhe são feitas pelo assassinato de Keishla Rodríguez Ortiz, sua ex-namorada, que estava grávida. Mesmo assim, o promotor Jonathan Gottfried solicitou à juíza Camille Vélez Rivé, responsável pelo caso, para que o boxeador permaneça na prisão. Se for declarado cuklpado, Verdejo poderá ser condenado à morte.

Uma queixa do FBI, com base no depoimento de uma testemunha não identificada, acusou Verdejo de dar um soco no rosto de Rodriguez, injetar nela uma substância não identificada comprada em um conjunto habitacional público por intermédio de uma seringa. Ele também amarrou os braços e pés com arame, vinculados a um bloco e, em seguida, jogou-a de uma ponte às 8h30 na quinta-feira, 29 de abril.

Verdejo, que é casado e tem uma filha pequena, se entregou às autoridades na noite do dia 2 e está detido sem fiança. Ele é acusado de sequestro e roubo de carro, resultando em morte e matando intencionalmente um feto, além de usar e portar arma de fogo durante um violento crime. Luis Antonio Cadiz é acusado de co-autoria do crime, em troca de uma quantia em dinheiro.

Verdejo (27-2, 17 nocautes) representou Porto Rico nos Jogos Olímpicos de 2012 e tornou-se boxeador profissional naquele ano, competindo no peso leve. Foi apontado como uma joia de Porto Rico e possível sucessor de lendas como Felix Trinidad e Miguel Cotto.

Tudo o que sabemos sobre:

bopxeFelix Verdejo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.