Fighting Harada guarda luva da vitória de 1965 sobre Eder Jofre e espera rever rival em 2021 nos EUA

Fighting Harada guarda luva da vitória de 1965 sobre Eder Jofre e espera rever rival em 2021 nos EUA

Aos 77 anos, japonês recebeu em sua academia no Japão uma camiseta do Galo de Ouro e afirmou ao biógrafo Chris Smith que sente saudades do brasileiro

Wilson Baldini Jr.

08 de setembro de 2020 | 10h57

 

Masahiko Fighting Harada foi o único boxeador a derrotar Eder Jofre. Foram duas lutas no Japão, em 1965 e 1966. Apesar das vitórias, o japonês sempre enalteceu e elogiou o brasileiro. Na última segunda-feira, Harada recebeu em sua academia, no Japão, uma camiseta do eterno rival, enviada pelo escritor norte-americano Chris Smith, que vai lançar no início de 2021 uma biografia do Galo de Ouro.

Harada fez questão de mostrar as luvas usadas na primeira vitória sobre Eder, em Nagoya, há 55 anos. “Eu adoro Eder e sinto muita falta dele. Espero poder encontrá-lo no início do próximo ano”, disse o ex-campeão dos moscas e dos galos. Ele lutou de 1960 a 1970. Somou 55 vitórias (22 nocautes) e sete derrotas.

HÁ 55 ANOS – O Aichi Prefectural Gym, em Nagoya, Japão, estava completamente lotado. Os 12 mil japoneses empurraram de todas as formas Masahiko Fighting Harada para conseguir a vitória mais importante de sua carreira, naquele 17 de maio de 1960, com a conquista do título mundial dos galos.

No quarto assalto, os vários fotógrafos instalados quase dentro do ringue, entre as cordas, foram à loucura quando o lutador asiático, de 22 anos, acertou uma grande sequência, que quase levou Eder Jofre, o Galo de Ouro, para a lona.

Harada dominou a metade dos primeiros 15 rounds previstos. No sexto assalto, chegou a abrir um corte no supercílio esquerdo de Jofre. O brasileiro, mesmo com problemas para dar o peso e desgastado pelo ritmo intenso da luta, foi se recuperar da parte final do combate e por pouco não derrubou o adversário no 11.º assalto.

 

 

Ao final, o juiz Barney Ross apontou Harada o vencedor por 71 a 69, com o sistema de pontuação de cinco pontos para o vencedor de cada assalto. O jurado local, Masao Kato viu o compatriota melhor e anotou 72 a 70. O norte-americano Jay Edson, um fã declarado de Eder, marcou 72 a 71 para o brasileiro.

A vitória de Harada foi considerada uma zebra. O valor das bolsas mostra bem a importância de cada lutador. Eder ganhou US$ 30 mil, enquanto Harada ficou com US$ 2,5 mil.

Foi a primeira derrota de Eder, após 50 lutas, com 17 nocautes seguidos nas últimas 17 apresentações. Os dois voltaria a se enfrentar em 1966. E Eder seria campeão dos penas em 1973. Mas são assuntos para uma próxima oportunidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: