George Foreman completa 70 anos e revela que sua direita ainda derruba muita gente

George Foreman completa 70 anos e revela que sua direita ainda derruba muita gente

Campeão em 1973 e 1994, peso pesado rasga elogios a Ali, Frazier, Tyson e diz que para ser campeão é preciso ter garra, acima de força e talento

Wilson Baldini Jr.

10 de janeiro de 2019 | 00h31

 

George Foreman sempre tem seu nome mencionado em qualquer lista na qual se enumera os boxeadores mais fortes da história. Ao completar 70 anos, sempre com o sorriso no rosto, o texano de Marshall não exibe mais os temidos músculos, mas mantém o bom humor que o tornou um dos pugilistas mais populares de todos os tempos. “Estou com 70 anos, mas meu direto de direita ainda derruba muita gente”, gosta de dizer por intermédio das redes sociais.

Medalha de Ouro na Olimpíada do México-1968, Foreman foi campeão mundial dos pesados em 1973, ao derrubar Joe Frazier seis vezes em dois rounds. Perdeu o cinturão no ano seguinte,   para Muhammad Ali, por nocaute no oitavo assalto, no Zaire, naquela que é apontada por todas como a verdadeira “Luta do Século”.

Abandonou o boxe em 1977 para ser pastor evangélico. Voltou dez anos depois, aos 38 anos, e demonstrou que sua força estava intacta, ao derrubar 23 de seus 24 adversários, entre eles o brasileiro Adilson Magula Rodrigues, antes de perder para Evander Holyfield, por pontos, em um duelo épico.

Recuperou o cinturão, ao vencer nocautear Michael Moorer, 18 anos mais novo, com um direto de direita mortal no décimo assalto, em 1994. Se tornou o campeão mais velho do boxe. Lutou até 1997, aos 48 anos, e sempre teve o respeito de todos os amantes da nobre arte.

Milionário, virou garoto propaganda de uma marca de grill e ganhou mais de US$ 110 milhões. Atualmente, faz comerciais de TV e dá palestras. “Vivo muito melhor do que mereço”,

Foreman considera a geração dos anos 70, da qual fez parte, junto com Ali, Frazier e Ken Norton como a melhor de todos os tempos. “Mas o mais forte de todos era Ernie Shavers.”

Perguntado se é o mais “temido” lutador de todos os tempos, Foreman tem a resposta na ponta da língua. “O mais temido é Joe Louis”, afirmou, referindo-se ao campeão dos anos 30, 40 e 50. Foreman não se coloca no mesmo nível de Ali e Frazier. “Ali foi um ídolo. Trata-se de um dos maiores seres humanos que já existiram. Frazier tinha uma esquerda espetacular. Por isso,a luta deles, em 1971, em Nova York, foi o maior de todos os eventos esportivos.”

Sobre Mike Tyson, mais elogios. “Nunca o boxe teve reunido em uma mesma pessoa tanta agressividade e velocidade.” No boxe atual, Foreman escolhe Mikey Garcia, campeão peso leve, como o melhor. “Ele é o cara.”

Big George tem um conselho para quem quer ser campeão. “Além de força e talento, é preciso ter garra.”

Tudo o que sabemos sobre:

boxeGeorge ForemanMuhammad Ali

Tendências: