Há três décadas, Mike Tyson perdeu 6 patrocinadores e US$ 10 milhões por causa de denúncia de abuso sexual

Há três décadas, Mike Tyson perdeu 6 patrocinadores e US$ 10 milhões por causa de denúncia de abuso sexual

A atriz Robin Givens, então esposa do boxeador, deu uma entrevista ao programa de Barbara Walters, dizendo que o marido era maníaco depressivo e a agredia

Wilson Baldini Jr.

20 de outubro de 2020 | 14h13

 

A atriz Robin Givens, então esposa do boxeador, deu uma entrevista ao programa de Barbara Walters, em 1988, dizendo que o marido era maníaco depressivo e a agredia fisicamente. O fato fez o pugilista, que era o campeão unificado dos pesos pesados, perder seis patrocinadores (Suntory Beer, USA Today, Toyota, Kodak, Nintendo e Pepsi) e cerca de US$ 10 milhões. No caso da Pepsi o prejuízo foi ainda maior, pois o pugilista iria assinar um contrato vitalício com a empresa de refrigerantes.

O caso de estupro da modelo Desireé Washington, de 18 anos, em 1991, no qual Tyson foi condenado e cumpriu pena de três anos no Indiana Youth Center, em Plainfield, Indiana, encerrou de vez qualquer tipo de parceria comercial envolvendo o lutador.

Apenas, em 2020, ao anunciar que vai voltar aos ringues em 28 de novembro, aos 54 anos, para uma luta exibição com Roy Jones Jr., Tyson voltou a desempenhar o papel de alguns produtos.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeMike Tyson

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.