Leilão do cinturão de Popó atinge R$ 40 mil. Lances podem ser feitos até domingo

Ex-campeão mundial dos superpenas e leves vai doar a quantia para a compra de cestas básicas e ajudar na luta contra a pandemia

Wilson Baldini Jr.

06 de abril de 2020 | 11h03

 

Acelino Popó Freitas prometeu para até domingo o leilão de seu cinturão mundial, versão Associação Mundial de Boxe, conquistado em janeiro de 2002, diante do cubano Joel Casamayor, em Las Vegas.

O melhor lance até agora foi de R$ 40 mil. O dinheiro arrecadado será utilizado na compra de cestas básicas para pessoas carentes, neste momento de pandemia do coronavírus.

Popó foi campeão pela primeiera vez em 1999, quando ganhou o cinturão dos superpenas da Organização Mundial de Boxe.  Em 2002, unificou os títulos, ao bater Casamayor. Subiu de categoria e foi campeão dos leves em 2004. Repetiu a dose em 2006.

Sem lutar desde 2017, Popó vive a expectativa de ser o segundo brasileiro indicado para o Hall da Fama do Boxe, em Canastota, em Estados Unidos, feito obtido apenas por Eder Jofre, em 1992. O maior peso galo da história do boxe foi campeão de 1960 a 1965, além de ganhar também o cinturão dos penas em 1973.

Popo tem um cartel de 41 vitórias (34 nocautes) e apenas duas derrotas. Uma para Diego Corrales, em 2004, e outra para Juan Diaz, em 2007.

Tudo o que sabemos sobre:

boxePopócoronavírusleilão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: