Manny Pacquiao assina contrato de duas lutas com a empresa do ‘chefe’ de Floyd Mayweather

Acordo prevê duelo com Adrien Broner, em janeiro, no Estados Unidos, e uma segunda luta com Mayweather

Wilson Baldini Jr.

11 Outubro 2018 | 10h03

 

O filipino Manny Pacquiao assinou contrato de duas lutas com a PBC, empresa de Al Haymon, o ‘chefe’ de Floyd Mayweather. Segundo o Manila Bulletin News, o multicampeão asiático poderá enfrentar em janeiro o polêmico Adrien Broner,nos Estados Unidos, e na sequência ter uma segunda luta contra Mayweather.

Emm 2015, na luta mais lucrativa da história do boxe, Mayweather venceu Pacquiao, por pontos, após 12 roundes. Depois da luta, o filipino alegou problemas no ombro, operado dias depois.

Pacquiao, que completa 40 anos em 17 de dezembro, tem interesse também em colocar em um futuro próximo seus lutadores filipinos para lutar pela empresa de Al Haymon nos Estados Unidos.

Pacman teve contrato por 17 anos com a empresa Top Rank, do empresário Bob Arum. Campeão em oito categorias, Pacquiao não luta desde julho, quando venceu o argentino Lucas Matthysse e ficou com o cinturão mundial dos meio-médios, versão Organização Mundial de Boxe.

Em recente encontro em Tóquio, Japão, Pacquiao e Mayweather chegaram a anunciar a luta para o final do ano.