Manny Pacquiao chega à 70ª luta, após ganhar US$ 500 milhões e doar US$ 200 milhões

Manny Pacquiao chega à 70ª luta, após ganhar US$ 500 milhões e doar US$ 200 milhões

Político, militar, filipino dá mais de mil casas a pessoas pobres de seu país e tem o sonho de um dia ser presidente

Wilson Baldini Jr.

17 de janeiro de 2019 | 01h14

 

Manny Pacquiao vai subir em um ringue pela 70ª como boxeador profissional, neste sábado, em Las Vegas, para enfrentar o norte-americano Adrien Broner. Mas em condições muito diferentes.

Em 22 de janeiro de 1995, Pacquiao, então com 16 anos recém-festejados, lutou por US$ 20,00. “Eu tinha fome. Eu tinha de lutar.” Passados 24 anos, Pacman acumulou títulos, virou celebridade mundial e ganhou mais de US$ 500 milhões.

“O dinheiro que ganhei, vou dividir com o povo pobre do meu país.” Quem ouve uma frase dessa pode dizer que se trata de apenas uma promessa política. Não é verdade ao se falar de Pacquiao, que já doou US$ 200 milhões para milhares de famílias filipinas. Uma de suas maiores obras foi contruir mil casas populares.

Por tudo que fez dentro e fora do ringue, Pacquiao é uma das figuras de destaque do século 21.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeManny PacquiaoAdrien Broner

Tendências:

  • Raí valoriza montagem do elenco do São Paulo para o Brasileirão
  • Em crise, Figueirense se movimenta para evitar novo W.O.
  • Corinthians, Palmeiras e São Paulo tem as melhores defesas do Campeonato Brasileiro
  • Podcast: personalidades do esporte analisam a situação do futebol no Brasil
  • Bruno Henrique vibra com gols no Maracanã: 'Semana mais feliz da minha vida'