Mike Tyson e Roy Jones levam os fãs do boxe de volta aos momentos de glória

Mike Tyson e Roy Jones levam os fãs do boxe de volta aos momentos de glória

Exibição em Los Angeles foi como deveria ser. Com golpes calculados, mas com muito charme. O resultado foi empate, mas o boxe saiu vencedor

Wilson Baldini Jr.

29 de novembro de 2020 | 03h28

(Joe Scarnici/Getty Images for Triller)

 

A exibição de Mike Tyson e Roy Jones Jr. no Staples Center, em Los Angeles, neste sábado, foi como deveria ser.  Repleta de charme, que fez os fãs mais saudosistas voltarem no tempo e relembrar os momentos de glória de duas lendas do boxe.

Em uma forma espetacular para um homem que não lutava profissionalmente há 15 anos e que chegou a pesar mais de 140 quilos, Tyson surpreendeu ao se movimentar e disparar os golpes com grande velocidade. Com 99,9 quilos, calção preto e sapatilha preta, deu a impressão de ser o garoto que em 1986, aos 20 anos de idade, se sagrava pela primeira vez campeão mundial.

Jones, que nunca pesou 95 quilos e não foi um peso pesado natural, sentiu a idade, o peso e os golpes de Tyson sempre aplicados no corpo, de forma moderada, mas dura. O jeito foi abusar dos clinches e tentar usar o contragolpe (sem sucesso). No oitavo e último round, arriscou uma dancinha, só para deixar a sua marca, assim como Tyson também voltou a morder o dedo da luva.

Ao final, ficou o gostinho de “quero mais” e tudo indica que outros desafios virão. Tyson x Evander Holyfield é uma grande possibilidade. Vai ser bom demais. Tyson x Jones deu empate, mas o boxe saiu vencedor mais uma vez.

 

Tudo o que sabemos sobre:

bixeMike TysonRoy Jones Jr.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.