O dia em que um paraquedista suspendeu a segunda luta entre Evander Holyfield e Riddick Bowe

O dia em que um paraquedista suspendeu a segunda luta entre Evander Holyfield e Riddick Bowe

Incidente no Caesars Palace, em Las Vegas, no sétimo assalto, parou a luta por 21 minutos e causou grande confusão; na volta Holyfield venceu por pontos, após 12 assaltos

Wilson Baldini Jr.

08 de novembro de 2020 | 11h39

Em 6 de novembro de 1993, Evander Holyfield e Riddick Bowe se enfrentaram pela segunda vez. Bowe havia vencido a primeira e quebrado a invencibilidade de Holyfield, em 1992.
Na segunda, mais uma vez, a disputa era intensa até o sétimo assalto, quando um paraquedista pousou muito próximo do ringue, causando a paralisação do combate por 21 minutos e muita confusão.
Tratava-se de James ‘Fan Man’ Miller, que se chocou contra as cordas do ringue antes de cair de costas na multidão. Após um minuto e dez segundos do sétimo round, Holyfield fez o que nenhum boxeador deveria fazer – ele tirou os olhos de seu oponente. “Vi esse cara se chocando contra as cordas”, disse Evander ao canal HBO, “quando ele fez isso, o olhar em meu rosto fez Riddick se virar”
Bowe estava voltado para a direção oposta do incidente e, então, inicialmente só viu a reação de Holyfield: “Eu pensei que ele tinha visto King Kong.” O juiz era o experiente Mills Lane, que ficou tão assustado quanto todas as outras pessoas presentes na luta.
Uma confusão se instaurou ao lado do ringue enquanto os seguranças correram para neutralizar o que consideraram uma ameaça séria. Muitos entraram em pânico instintivamente, supondo que o homem fosse um terrorista carregando uma bomba ou um assassino que teria como alvo figuras políticas como Louis Farrakhan e Jesse Jackson, que estavam presentes.
Hoje em dia, seria absurdo sugerir que um homem qualquer fosse capaz de simplesmente deslizar para dentro do local ao ar livre do Caesars Palace Hotel, em Las Vegas, e causar o caos. No entanto, o evento foi antes de 11 de setembro e os protocolos para lidar com tais incidentes eram vagos. Como resultado, a resposta foi uma confusão total.
A segurança da equipe de Bowe foi a primeira a prender Miller e reagiu simplesmente dando um soco nele até deixá-lo inconsciente. Fan Man depois brincou: “Foi uma luta de peso pesado e eu fui o único cara que foi nocauteado”.
Foi um momento de sorte ao lado da experiência do paraquedista, enquanto guiava para cair diretamente nas cordas do ringue, em vez de colidir com os espectadores. Essa aterrissagem provavelmente salvou vidas. O para-quedas teve que ser cortado, pois se enrolou nas luzes do ringue. Os organizadores do evento desligaram as luzes, temendo um incêndio.
Em meio a todo o caos, a esposa grávida de Bowe foi retirada da arena em uma maca e transportada de ambulância para o mesmo hospital onde foi levado Miller.
Os pugilistas voltaram a lutar e a vitória, desta vez, ficou com Holyfield em decisão muito apertada. Um jurado deu empate (114 a 114) e outros dois para Holyfield (115 a 113 e 114 a 113). Detalhe: no sétimo assalto, cada jurado deu um resultado diferente: um para Holyfield, um para Bowe e outro empate.
O incidente ficou tão famoso que um personagem ‘Fan Man’ foi recriado em um episódio de 1996 dos Simpsons.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeEvander HolyfieldRiddick Bowe

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: