Presidente do Conselho Mundial admite colocar Mike Tyson entre os 15 do ranking

Presidente do Conselho Mundial admite colocar Mike Tyson entre os 15 do ranking

Mauricio Sulaiman afirmou que vai apoiar o retorno do ex-campeão mundial: 'Não vou destruir o sonho de ninguém. Ele merece. Nós o classificaremos'

Wilson Baldini Jr.

21 de maio de 2020 | 12h42

 

Mauricio Sulaiman, presidente do Conselho Mundial de Boxe (CMB), admitiu classificar Mike Tyson entre os 15 primeiros colocados do ranking da entidade, caso o ex-campeão mundial dos pesos pesados volte aos ringues, mesmo que seja para lutas de exibição. O dirigente também afirmou que vai apoiar o Iron Man para que consiga, aos 53 anos, licença para recolocar as luvas.

“Ele poderia nocautear qualquer um a qualquer momento. Claro que nós o apoiaremos. Ele merece”, disse Sulaiman, ao site World Boxing News. “Eu não vou destruir o sonho de ninguém. Se a vontade dele é ser ranqueado, nós o classificaremos.”

O presidente do CMB até relembrou o fato ocorrido com Sugar Ray Leonard, em 1987, quando  voltou a lutar após quase três anos afastado por causa de um descolamento da retina esquerda e ocupou o primeiro lugar na classificação da entidade para lutar pelo cinturão dos médios contra Marvin Hagler.

“Os casos são diferentes. Mike não luta há muitos anos, mas isso será um grande entretenimento. Ele quer ajudar as pessoas que precisam neste momento difícil pelo qual passa todo o mundo”, afirmou Sulaiman. O CMB classifica todos os meses 40 lutadores em seu ranking.

Tyson é o campeão mais novo da história dos pesos pesados. Em 1986, aos 20 anos, ganhou o cinturão do CMB, ao nocautear Trevor Berbick, no segundo assalto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: