Queixo de vidro e guarda falha faz Anthony Joshua lutar no contra-ataque

Queixo de vidro e guarda falha faz Anthony Joshua lutar no contra-ataque

Britânico repetiu diante de Kubrat Pulev o mesmo estilo adotado na revanche com Andy Ruiz Jr., voltou a não se expor e dominou o combate

Wilson Baldini Jr.

14 de dezembro de 2020 | 01h17

 

Já dizia o lendário Maguila: “Onde peso pesado põe a mão não nasce cabelo”. É uma forma bem simples de mostrar a força dos lutadores da principal categoria do boxe.

Anthony Joshua, atual campeão pela Organização Mundial, Federação Internacional e Associação Mundial de Boxe, aprendeu na derrota para Andy Ruiz Jr em junho de 2019 que sua guarda falha e o queixo de vidro teriam de ser preservados para que novos revezes não fossem registrados.

Desta forma, o britânico passou a deixar a iniciativa para o rival e apostar nos contra-ataques. Com esta postura, o campeão olímpico em Londres/2012 recuperou os títulos na revanche contra Ruiz em dezembro do ano passado e derrotou Pulev no nono assalto no último sábado.

E a fórmula deverá ser repetida frente a Tyson Fury em um possível duelo de unificação dos títulos – Fury é o dono do cinturão do Conselho Mundial – em 2021. Se buscar o ataque, Joshua poderá correr sérios riscos como foi frente a Dillian Whyte, Wladimir Klitschko e Alexander Povetkin.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeAnthony JoshuaKubrat Pulev

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.