Repórter sugere e Bob Arum gosta da ideia de colocar Terence Crawford diante de Patrick Teixeira

Dono da Top Rank considera o brasileiro 'corajoso' e prevê o duelo muito bom para ser realizado em Omaha, cidade natal do americano. Ideia partiu de Dan Rafael, da ESPN

Wilson Baldini Jr.

17 de dezembro de 2019 | 09h51

 

Como era esperado, a conquista do título mundial dos médios-ligeiros da Organização Mundial de Boxe (OMB) colocou o nome de Patrick Teixeira no cenário internacional do boxe. O brasileiro teve seu nome sugerido pelo repórter Dan Rafael, da ESPN, para ser o próximo adversário do norte-americano Terence Crawford.

Campeão dos meio-médios da OMB e apontado como um dos melhores pugilistas da atualidade, Crawford sofre com a falta de bons adversários, pois os principais de sua categoria (Errol Spence Jr. , Manny Pacquiao, Danny Garcia e Keith Thurman) possuem relação com o empresário Al Haymon, adversário nos negócios da nobre arte de Bob Arum, o seu empresário. O único rival à altura de Crawford seria Shawn Porter, mas a grande amizade entre os dois dificulta a realização de um combate.

Com isso, Dan Rafael, em seu artigo desta segunda-feira, sugeriu Patrick Teixeira, pelo fato de a Top Rank, empresa de Bob Arum, ter bom relacionamento com a Golden Boy, de Oscar De La Hoya, detentora dos direitos da carreira do lutador nacional.

Rafael falou com representantes das duas empresas e a sugestão foi bem aceita. “Gosto da luta. Conheço Teixeira porque ele lutou com Adames (Carlos) no nosso programa (dia 30) e é um cara corajoso. Ele se recuperou no duelo com Adames. Se Crawford e BoMac (manager) quiserem fazer isso, nós o faremos, vamos organizá-lo. É uma ótima luta para Omaha (cidade natal de Crawford). Estamos interessados.”

Eric Gomez, presidente da Golden Boy e braço direito de Oscar De La Hoya, também está entusiasmado com a possibilidade do combate. “O lema de Oscar (De La Hoya) para a empresa sempre foi ‘o melhor lutando contra o melhor'”, disse Gomez. “Sempre que você tiver a chance de lutar com um dos melhores lutadores de libra a libra do mundo, você tem de lutar. Você agarra a oportunidade. Dito isto, temos um duelo mandatório [contra Brian Castano] e temos que cumprir nossas obrigações, mas se houver uma maneira de fazê-lo na próxima luta, estamos abertos a isso”, disse o empresário, referindo-se à luta do brasileiro contra o argentino.

E Eric Gomez prosseguiu. “É uma grande luta (Teixeira x Crawford), e eu gosto das nossas chances”, continuou ele. “Nosso cara (Patrick) é muito maior e mais forte que Crawford, e é realmente um teste para Crawford se ele pode ser como aqueles grandes que ganharam títulos nos meio-médios e médios-ligeiros em suas carreiras. Seria uma oportunidade para Crawford também mostrar se é um dos grandes de sua época.”

Crawford, de 32 anos, tem uma carreira invicta, com 36 vitórias. Ele foi campeão dos leves e tambpem dos meio-médios-ligeiros (unificado). Sábado, o americano venceu o lituano Egidijus Kavaliauskas, no 9.º assalto, no Madison Square Garden, em Nova York.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.