Rival político, presidente das Filipinas chama Manny Pacquiao de ‘bêbado’

Rival político, presidente das Filipinas chama Manny Pacquiao de ‘bêbado’

Caso seja candidato nas eleições presidenciais em maio, lenda filipina dos ringues poderá enfrentar o seu maior adversário

Wilson Baldini Jr.

21 de agosto de 2021 | 11h46

 

 

Caso seja candidato nas eleições presidenciais nas Filipinas em maio, Manny Pacquiao poderá enfrentar o seu maior adversário. Rodrigo Duterte, atual presidente e rival político do pugilista e senador, chamou a lenda filipina dos ringues de ‘bêbado’ para rebater as acusações de ter sumido com 10 bilhões de pesos filipinos (cerca de R$ 1 bilhão).

“Acho que Pacquiao está bêbado. Sabe, tenho tentado realmente o meu melhor para conter a corrupção”, disse Duterte durante sua reunião com os executivos do Partido Demokratiko Pilipino-Lakas ng Bayan (PDP-Laban) e outros funcionários do governo.

Duterte também acusou Pacquiao de não pagar 2,2 bilhões de pesos filipinos em impostos. “Ele também deve ser considerado um funcionário corrupto.”

Duterte e Pacquiao são presidente do conselho e presidente, respectivamente, do partido governista PDP-Laba

Como se vê, Pacquiao deverá receber mais agressões em sua possível e futura campanha política do que dos quase 80 rivais enfrentados em 26 anos de carreira no boxe.

 

Tudo o que sabemos sobre:

boxe#PacquiaoUgas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.