Robson Conceição planeja baixar de categoria para buscar cinturão no 2º semestre 2019

Após luta em 12 de janeiro, campeão olímpico quer mais um duelo em março para depois sonhar com o cinturão

Wilson Baldini Jr.

07 Dezembro 2018 | 12h39

 

O ano de 2019 será decisivo para a carreira de Robson Conceição. O campeão olímpico vai se reunir esta semana com o técnico Luiz Dórea e sua equipe para definir o plano para o ano que vem. Uma coisa é certa. O baiano, de 30 anos, quer disputar o título mundial no segundo semestre e pretende baixar para a categoria dos penas.

Atualmente, Robson luta entre os superpenas, cujo limite de peso é de 58,967 quilos. Se baixar para os penas terá de acusar 57,153 quilos na balança. “Não tenho problema com o peso. Pode ser um pouco mais de sacrifício, mas vale a pena.” O boxeador foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2016 na categoria amadora dos leves (até 60 quilos).

“Se eu pudesse lutaria agora pelo título mundial”, disse Robson a este blog durante sessão de testes no Núcleo de Alto Rendimento (NAR), em São Paulo. “Mas vamos passo a passo, com a cabeça no lugar, para fazer tudo certo e conseguir chegar forte no momento exato.”

Dia 12 de janeiro, Robson luta pela 11ª vez como profissional. El está invicto, com cinco nocautes. Seu adversário será o mexicano Hector Ambriz Suarez (12-8-2, 6 KO) .  O duelo vai fazer parte da programação que terá como principal atração o campeão dos penas Oscar Valdez.

Robson e sua equipe vão definir se a viagem para os Estados Unidos será antes do Natal ou depois do fim do ano. O certo é que no ano que vem o brasileiro vai passar mais tempo nos Estados Unidos. “Lá eu tenho uma quantidade muito grande de sparrings e isso ajuda muito na preparação”, disse o boxeador, que reclamou da falta de apoio no Brasil. “Só tenho um patrocinador. Um convênio dentário. Mais nada.”

Mais conteúdo sobre:

boxeRobson ConceiçãoTop Rank