Sem lesão no tímpano, Wilder toma pontos na orelha e tem 30 dias para pedir revanche a Fury

Sem lesão no tímpano, Wilder toma pontos na orelha e tem 30 dias para pedir revanche a Fury

Vídeo mostra que o ex-campeão não estava em boas condições para disputar o 7.º assalto. Atitude do auxiliar técnico de jogar a toalha foi correta

Wilson Baldini Jr.

23 de fevereiro de 2020 | 16h05

 

Os rumores de que Deontay Wilder teria sido levado a um hospital de Las Vegas, após a derrota para Tyson Fury, no início da madrugada de domingo, não se confirmaram. Shelly Finkel, co-manager do ex-campeão, informou que o lutador teve de receber apenas alguns pontos na orelha direita, machucada no segundo round do combate e não confirmou que o lutador tivesse sofrido alguma lesão no tímpano.

Ao mesmo tempo, Finkel admitiu que exigiu o cumprimento da cláusula contratual que prevê uma revanche imediata. O norte-americano tem 30 dias para pedir uma terceira luta com Fury. Na primeira, em 1.º de dezembro de 2018, houve empate.

Outra possibilidade é Wilder esperar o vencedor de uma possível luta entre os britânicos Fury e Anthony Joshua, campeão pela AMB, FIB e OMB, pela unificação dos principais cinturões do boxe.

Um vídeo mostrou que Wilder não estava em boas condições para retornar ao combate no sétimo assalto, o que justifica o fato de Mark Breland, auxiliar técnico, ter jogado a toalha a 1min39 do fim do assalto, quando o norte-americano sofria castigo de Fury.

Tudo o que sabemos sobre:

boxeDeontay WilderTyson Fury