Técnico de Matthysse promete fazer Pacquiao ‘dormir’ mais uma vez

Técnico de Matthysse promete fazer Pacquiao ‘dormir’ mais uma vez

Grande luta está marcada para 15 de julho, em Kuala Lumpur, na Malásia

Wilson Baldini Jr.

18 de abril de 2018 | 10h00

Francis R. Malasig/EFE

 

O filipino Manny Pacquiao e o argentino Lucas Matthysse se encaram pela primeira vez, nesta quarta-feira, em manila, nas Filipinas, para o duelo de 15 de julho (14 de julho no Brasil), quando estará em jogo o cinturão dos meio-médios, versão Associação Mundial de Boxe. O duelo ser´em Kuala Lumpur, na Malásia,

Joel Diaz, técnico de Matthysse, aproveitou para esquentar logo o clima. “Lucas vai fazer Pacquiao dormir como fez Juan Manuel Marquez”, afirmou o treinador, referindo-se ao combate de 2012, quando o multicampeão filipino foi nocauteado de forma espetacular no sexto assalto.

Tímido, Matthysse elogiou o adversário. “Sempre quis enfrentar Manny. Trata-se de um grande campeão. Será uma vitória muito importante para mim. Melhor ainda se for por nocaute”, afirmou o sul-americano, de 35 anos, que possui um cartel de 39 vitórias, 36 nocautes e quatro derrotas.

Aos 39 anos, Pacquiao afirmou que ainda não pretende se aposentar e assumiu o posto de favorito para a luta. “Minha carreira ainda não acabou. Tenho coisas a fazer. Respeito Lucas, mas quero a vitória. Se for possível, por nocaute.”

Pacquiao já adiantou que planeja, após Matthysse, ter uma luta com o ucraniano Vasyl Lomachenko. “Minhas lutas sempre foram grandes. Todo grande adversário me interessa”, afirmou o astro filipino, que soma 59 vitórias (38 nocautes), sete derrotas e dois empates.

Pacquiao lutou pela última vez em junho do ano passado e perdeu para o australiano Jeff Horn, por pontos, em decisão bastante discutida. Matthysse se apresentou em janeiro e ganhou o cinturão da AMB, diante do tailandês Tewa Kiram.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: