Tyson e Jones são submetidos a rigorosa bateria de testes médicos e antidoping. Menos para maconha

Tyson e Jones são submetidos a rigorosa bateria de testes médicos e antidoping. Menos para maconha

Consumidor ávido e produtor de cannabis, o Iron Man admitiu ter parado de consumir a droga durante a preparação para a luta de sábado

Wilson Baldini Jr.

24 de novembro de 2020 | 11h27

 

Mike Tyson e Roy Jones estão sendo submetidos a uma bateria rigorosa de exames médicos e de antidoping para a luta exibição de sábado, em Los Angeles, no Staples Center. Semanalmente, nos últimos quatro meses, os astros da nobre arte, que estão com 54 e 51 anos, passam por análises da reação de seus organismos durante os treinamentos.

Exames do coração, sangue, pulmão, cérebro, mãos, pernas, … tudo está sendo investigado para que os dois ex-campeões mundiais não sofrem nenhum tipo de problema de saúde com a apresentação de sábado.

O único exame que não será feito vai ser para diagnosticar o uso de maconha, pois Tyson já admitiu ser um consumidor ávido e produtor de cannabis. Em entrevista recente, o Iron Man disse que ter parado de consumir a droga durante a preparação para o duelo com Jones.

Com uma grande propriedade, no Sul da Califórnia, chamada Tyson Ranch, Tyson produz, entre outros produtos, cannabis, autorizado naquele estado norte-americano. O campeão dos pesados de 1986 a 1990 e em 1996 afirmou durante um de seus programas de podcast que gasta cerca de US$ 40 mil por mês em maconha. “Sem fumar, eu fico ruim e não gosto disso. Posso brigar com minha esposa e meus filhos. Quando fumo, me sinto confortável.”

Tyson x Jones vai ter transmissão ao vivo do canal Combate transmite. A TV Globo passa depois do Supercine.

Tudo o que sabemos sobre:

bioxeMike TysonRoy Jones Jr.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.