Uma noite especial com Eduardo Maria na Forja dos Campeões

Uma noite especial com Eduardo Maria na Forja dos Campeões

A vitória do médio-ligeiro, de 18 anos, aos 21 segundos do segundo assalto, emocionou amigos, parentes e principalmente o pai, Julio Maria

Wilson Baldini Jr.

23 de janeiro de 2020 | 16h52

 

A noite de quarta-feira, no clube Pinheiros, foi especial para o jornalista Julio Maria. Afinal, um de seus filhos, Eduardo, estava no ringue para fazer sua estreia no tradicional torneio Forja de Campeões, que neste ano completa a 80.ª edição.

Com uma máquina de fotografar nas mãos, Julio andou uma “maratona” pelo salão nos momentos que antecederam o combate do filhote. Na hora da luta, se posicionou na primeira fila, mas sua tensão era visível.

O nervosismo de Eduardo no ringue era o mesmo do pai na cadeira. O primeiro golpe foi festejado com um grito,  por um pulo e um soco no ar. Logo veio o contra-golpe e Julio pareceu sentir mais que o garoto.

Fim do primeiro assalto. Julio solta o ar e já aparenta um cansaço. Três roundes previstos é muita coisa. Toca o gongo para o segundo assalto. Eduardo está mais concentrado. Júlio, não. O jovem boxeador sente confiança e parte para o ataque. Acerta uma bela sequência de golpes. Parece um veterano. E a direita explode na cabeça do adversário, que vai à lona.

O juiz conta até dez, juntamente com Julio. Nocaute! E o pai orgulhoso soca o ringue com uma força que poderia derrotar Mike Tyson. Eduardo Maria vence sua primeira luta e,, mais que isso, vence um grande round na vida.

Tenho certeza de que será assim pelo resto de seus anos, independentemente do que acontecer nos ringues. O boxe é secundário. Parabéns, Eduardo! Parabéns, Julio! Paizão de verdade. Muitos nocautes virão. Abraço!

Tudo o que sabemos sobre:

boxeForja dos Campeões

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.