Wilder revela fratura da mão direita três meses antes do início dos treinos para luta com Fury

Wilder revela fratura da mão direita três meses antes do início dos treinos para luta com Fury

Mas norte-americano não usa a lesão como desculpa para o empate de sábado em Los Angeles. "Foi uma ótima luta"

Wilson Baldini Jr.

04 Dezembro 2018 | 09h46

 

Deontay Wilder revelou que sofreu uma fratura da mão direita três meses antes do início dos treinamentos para a luta com Tyson Fury. Como o duelo foi anunciado no fim de setembro, calcula-se que o norte-americano tenha se lesionado em junho.

“Quebrei minha mão direita 12 semanas antes do acampamento. Mesmo no acampamento, quase nunca joguei a minha mão direita; você pode perguntar a todos os meus parceiros de sparring”, disse o campeão mundial dos pesos pesados pelo Conselho Mundial de Boxe no programa de rádio SiriusMX Show.

“Eu não invento desculpas. Foi uma ótima luta. Você teve o melhor de Tyson Fury e você teve o melhor de mim. E eu ainda fiz o que tinha que fazer. Imagine se eu estivesse com todo o meu potencial. Isso foi tudo culpa minha; Eu me culpo.”

Wilder e Fury lutaram sábado, no ginásio Staples Center, em Los Angeles, e o duelo de 12 roundes terminou empatado. Uma segunda luta pode ocorrer no primeiro semestre de 2019. Também existe a possibilidade de tanto Wilder como Fury enfrentarem o britânico Anthony Joshua, dono dos cinturões da Associação Mundial, Federação Internacional e Organização Mundial de Boxe.