Do jeito que está, eu jogo fácil

Se perder 20 quilos e treinar um pouco, não erro um passe

Jornal da Tarde

24 de setembro de 2012 | 21h13

Vendo o baixo nível técnico do Campeonato Brasileiro e o sucesso dos veteranos que sabem jogar bola, estou pensando seriamente em me internar por dois meses num spa para perder 20 quilos. Quando estiver fininho, mesmo com 63 anos, vou procurar um clube grande e topo até fazer teste se for preciso para voltar a jogar. Garanto que se eu jogar hoje, do jeito que está fácil para quem sabe das coisas, não erro um passe e coloco os atacantes na cara do gol toda hora.
Digo isso porque em quase todos os times os “professores” escalam volantes brucutus para correr, marcar e truncar o jogo. E aí quem sabe o que fazer com a bola se destaca mesmo que já esteja em fim de carreira. Sabem aquele ditado que diz “em terra de cego quem tem um olho é rei”? Pois bem, é por aí. Zé Roberto, Juninho Pernambucano, Felipe, Marcos Assunção, Seedorf e Deco são exemplos de veteranos que sobram na turma.
Sempre tive uma condição física excepcional e nunca fui operado nem tive lesão séria. Então, se perder a barriga e treinar um pouco aposto que me crio. O Falcão, que não tem barriga, também jogaria fácil de volante. Um brucutu tomava a bola por ele e lhe entregava rápido. Com certeza o Rei de Roma arrumaria tudo e tocaria redonda no pé de alguém lá no ataque.
Se Falcão, Júnior, Zico, Tostão, Riva, eu e outros que tratavam bem a bola jogássemos hoje íamos querer atacar com e envolver o adversário, e não fazer o que Atlético Mineiro e Grêmio fizeram domingo. Estavam em campo dois candidatos ao título, ambos sabendo que precisavam ganhar para não deixar o Fluminense abrir, e o que tivemos foi uma partida feia, truncada, de muitas faltas, muita correria e pouquíssima emoção.
Parece que hoje em dia ser ousado e jogar ofensivamente é uma afronta. É como se existisse um pacto silencioso para ninguém atacar muito. O Luxemburgo está se rendendo ao estilo gaúcho, além de adotar um discurso pouco ambicioso que não combina com seu passado. Toda hora diz que está feliz em estar no G-4, como se lutar pelo título fosse um objetivo supérfluo. O negócio é ir pra Libertadores, ser campeão fica em segundo plano.
O Atlético vem me decepcionando nas últimas rodadas. O Cuca tem feito algumas escolhas rodadas (insistir no Guilherme, que entrou mal no time, é uma delas) e alguns jogadores importantes caíram de rendimento, como o Danilinho, o Bernard e o Ronaldinho. O Gaúcho, por sinal , deu uma patada no Kleber indigna de seu talento.
Até tu, Ronaldinho?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.