A que ponto chegamos!

Bruno Voloch

18 de agosto de 2019 | 12h37

Os dirigentes da CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, se superaram.

O que era para ser um dia de festa e alívio, afinal os retornos de Fabiana e Sheilla são a certeza de dias melhores na seleção, acabou sendo um espetáculo deprimente e de desrespeito com as duas jogadoras e principalmente com o público.

A Argentina, décima primeira colocada no ranking mundial, veio ao BRASIL com o time B

B para C, sendo mais preciso.

Nada a ver com a equipe que derrotou o BRASIL duas vezes recentemente no Pan de Lima. E mais. Completa,  já não seria um teste dos melhores, que dirá com as jogadoras que vieram ao país.

Nem o técnico apareceu.

Desprestígio inaceitável para as bicampeãs olímpicas. Situação constrangedora para todos os envolvidos no evento, dentro e fora de quadra.

A CBF, Confederação Brasileira de Futebol, fez escola.

Amistoso absolutamente sem sentido e que não agrega em nada. Impossível, independentemente da capacidade do tricampeão olímpico José Roberto Guimarães, que o técnico tenha conseguido tirar qualquer conclusão.

Nem se ele fosse mágico.

Tendências: