A um ano da Olimpíada, Rússia rejeita política dos rivais e não dá sinais de convocar Camejo

A um ano da Olimpíada, Rússia rejeita política dos rivais e não dá sinais de convocar Camejo

Bruno Voloch

29 de julho de 2019 | 08h52

Depois de Juantonera (Itália), Leal (BRASIL) e Leon (Polônia), o cubano naturalizado russo Oreol Camejo vive a expectativa de poder vestir a camisa da seleção da Rússia em 2020.

O jogador estará à disposição da comissão técnica praticamente na véspera da Olimpíada de Tóquio quando terminar de cumprir o período de 2 anos exigido pela FIVB, Federação Internacional de Vôlei.

d

Camejo completou 33 anos recentemente e atua pelo Zenit St. Petersburg.

Só que diferente dos casos envolvendo Juantonera, Leal e Leon, a comissão técnica da Rússia não dá sinais de que Camejo possa ser aproveitado em 2020.

O processo de renovação vem dando certo, prova foi a conquista do bicampeonato da VNL em Chicago. Hoje, segundo o blog apurou, as chances de Camejo ser aproveitado são pequenas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: