Acabou. Porta fechada para o Minas em Barueri.

Acabou. Porta fechada para o Minas em Barueri.

Bruno Voloch

16 de janeiro de 2019 | 09h09

Caiu o último invicto na Superliga.

O Minas não resistiu ao Barueri, em franca ascensão, perdeu por 3 a 2 e viu escapar a chance de ser líder da competição. O primeiro lugar segue com o Praia, atual campeão.

As ausências de Dani Lins e Natália não influenciaram no resultado do jogo. Juma teve ótima atuação, enquanto Lana foi a maior pontuadora do Minas.

A saída prematura de Mayani no segundo set, segundo consta com cãibras, pode ter tido algum reflexo, muito embora a central tivesse feito apenas 1 ponto até ser substituída por Mara. Jogava bem abaixo do que vinha apresentando.

Quem cresce e se fortalece a cada partida é Thaísa, hoje imprescindível ao time dentro e fora de quadra sendo a mais experiente do grupo.

Exceção feita a gloriosa Amanda, com irrisórios 3 pontos, mas que continua sendo protegida, todo o time de Barueri jogou bem. A líbero Natinha surpreendeu, Milka vem ganhando personalidade e Skowronska regularidade.

Barueri se encontra em outro estágio, bem diferente do início da temporada. Nem o técnico José Roberto Guimarães poderia imaginar terminar o turno na terceira colocação. Mas foi o que aconteceu deixando para trás os poderosos Rio e Osasco.

Ficou a sensação que o Minas não acreditou que pudesse perder a invencibilidade logo contra Barueri depois de superar tantas adversidades na Superliga.

Fica a lição.

Trata-se de um bom time, nada além disso, continua como um dos candidatos ao título, mas está longe de ser imbatível como ficou provado.