Acabou. Porta fechada para o Minas em Barueri.

Acabou. Porta fechada para o Minas em Barueri.

Bruno Voloch

16 de janeiro de 2019 | 09h09

Caiu o último invicto na Superliga.

O Minas não resistiu ao Barueri, em franca ascensão, perdeu por 3 a 2 e viu escapar a chance de ser líder da competição. O primeiro lugar segue com o Praia, atual campeão.

As ausências de Dani Lins e Natália não influenciaram no resultado do jogo. Juma teve ótima atuação, enquanto Lana foi a maior pontuadora do Minas.

A saída prematura de Mayani no segundo set, segundo consta com cãibras, pode ter tido algum reflexo, muito embora a central tivesse feito apenas 1 ponto até ser substituída por Mara. Jogava bem abaixo do que vinha apresentando.

Quem cresce e se fortalece a cada partida é Thaísa, hoje imprescindível ao time dentro e fora de quadra sendo a mais experiente do grupo.

Exceção feita a gloriosa Amanda, com irrisórios 3 pontos, mas que continua sendo protegida, todo o time de Barueri jogou bem. A líbero Natinha surpreendeu, Milka vem ganhando personalidade e Skowronska regularidade.

Barueri se encontra em outro estágio, bem diferente do início da temporada. Nem o técnico José Roberto Guimarães poderia imaginar terminar o turno na terceira colocação. Mas foi o que aconteceu deixando para trás os poderosos Rio e Osasco.

Ficou a sensação que o Minas não acreditou que pudesse perder a invencibilidade logo contra Barueri depois de superar tantas adversidades na Superliga.

Fica a lição.

Trata-se de um bom time, nada além disso, continua como um dos candidatos ao título, mas está longe de ser imbatível como ficou provado.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: