Alix quita débito no Praia e devolve derrota com juros e correção

Alix quita débito no Praia e devolve derrota com juros e correção

Bruno Voloch

15 de março de 2016 | 09h07

Vento que venta lá, venta cá.

O Sesi sentiu na pele exatamente o que o Praia passou na primeira partida em Uberlândia.

alix_1

A postura agressiva do time mineiro desde o início do jogo deixava claro que a história seria bem diferente. As jogadoras encaravam a partida como uma autêntica decisão. Não haveria uma nova oportunidade. Não mesmo.

O Sesi não. A possibilidade de matar a série não mexeu como deveria com as jogadoras.

Erro fatal.

Venceu quem foi mais efetivo. Venceu quem teve mais vontade.

Aliás, não foi o Sesi. Seria difícil para qualquer adversário bater o Praia que viveu uma noite inspirada.

O time, finalmente, fez jus ao segundo lugar na fase de classificação e jogou como   grande.

Alix chamou a responsabilidade e foi fundamental na vitória por 3 a 1. A norte-americana marcou 25 pontos, um set inteiro e deu um show de bloqueio no quarto set. É bem verdade que Alix contou com a generosidade das levantadoras do Sesi que facilitaram e muito as coisas na rede.

sesi-praia-2

O Praia teve ainda com a mão calibrada da levantadora Claudinha e o entrosamento perfeito com a incansável Walewska.

O Sesi lutou e só entregou os pontos mesmo na metade do quarto set quando viu que a derrota seria inevitável.

As atacantes, que brilharam em Uberlândia, deixaram a desejar. Jaqueline, que nem no passe escapou, e Dayse, improvisada, ficaram devendo. Ellen foi a menos ruim.

Fato é que diante do que já aprontaram na Superliga até agora não é definitivo o que se viu na Vila Leopoldina.

Sesi e Praia apenas inverteram os papéis e precisarão provar quem é menos inconstante e mais confiável na terceira partida.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.