Banco do Brasil se pronuncia e afirma acompanhar movimentação da CBV

Banco do Brasil se pronuncia e afirma acompanhar movimentação da CBV

Bruno Voloch

09 Março 2018 | 17h11

Agora foi a vez do Banco do Brasil se pronunciar.

Se a Gol Linhas Aéreas Inteligentes optou em não responder todos os questionamentos sobre a ‘farra’ em passagens aéreas na CBV, o Banco do Brasil respondeu na íntegra.

Como patrocinador, o Banco do Brasil diz que acompanha a entrega das contrapartidas previstas em contrato e que não há previsão contratual para destinação específica dos recursos do patrocínio, conforme previsto em Instrução Normativa da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

O Banco diz que a CBV já forneceu as informações solicitadas pelo presidente da Federação Gaúcha de Voleibol, Carlos Cimino.

Por fim, o Banco do Brasil afirma que a auditoria independente na confederação foi instaurada a partir de exigência do próprio Banco do Brasil, em 2015.  O contrato, segundo eles, também prevê a publicação e a aprovação das contas da Confederação pelos conselhos responsáveis.

A suposta ‘farra’ em passagens aéreas foi divulgada pelo blog no início da semana.