Bauru e Osasco muito distantes de Praia e Minas, em outro patamar

Bruno Voloch

02 de abril de 2019 | 09h28

Minas, e principalmente Praia, mostraram na abertura das semifinais porque lideraram com folga a fase de classificação da Superliga. A superioridade é incontestável.

Não foi por acaso que ambos sobraram.

Osasco resistiu apenas um set contra o Minas, enquanto Bauru foi inapelavelmente batido dentro de casa pelo Praia por 3 a 0 com direito a 11 pontos de saque. A linha de passe de Bauru foi um desastre com aproveitamento vergonhoso e que simplesmente não permitiu Fabíola jogar.

As centrais foram mal e saíram zeradas no bloqueio. O time voltou a ser instável com o tradicional entra e sai conhecido de Anderson.

Foi uma vitória de campeão do Praia com destaque para a levantadora Carli.

Resultado que dá pouca esperança de mudança para a segunda rodada. Vencer o Praia em Uberlândia duas vezes é delicado, ainda mais pelo retrospecto entre os dois times nas últimas temporadas.

Diferença técnica também registrada e talvez não tão evidenciada, por causa do primeiro set, na Arena Minas. Osasco foi valente, jogou de igual para igual no inicio mas depois foi completamente dominado pelo adversário.

Assim como em Bauru, a levantadora Macris foi a melhor em quadra.

Jogo mais equilibrado nos números, mas decidido pelo poderio do ataque do Minas. Todas marcaram mais de 10 pontos comprovando a excelente distribuição e visão de jogo de Macris.

Se o Minas mantiver o nível da sua atuação da primeira partida, não tem torcida, mesmo sendo a de Osasco, que dê jeito daqui a uma semana.

Tendências: