Bloqueio de propriedades: Banco do Brasil é pivô e gera nova crise entre clubes e CBV

Bloqueio de propriedades: Banco do Brasil é pivô e gera nova crise entre clubes e CBV

Bruno Voloch

21 de setembro de 2020 | 20h15

A CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, tem um novo imbróglio pela frente.

O blog apurou que alguns clubes, grandes e influentes, estão insatisfeitos com a postura da entidade no que diz respeito ao marketing praticado da Superliga.

E não é de hoje.

Praticado em termos.

A questão, até onde o blog chegou, passa justamente pelo veto da CBV aos patrocinadores dos clubes que pedem espaço nos respectivos ginásios para exporem suas marcas.

A CBV não libera, decisão que desagrada os empresários que bancam os times.

A situação chegou a ser discutida no último encontro virtual, mas, como sempre, nada foi resolvido.

Há um visível mal-estar entre as partes.

Acuada, a CBV teme abrir espaço para a concorrência e perder apoio do Banco do Brasil. Outras empresas também estariam ameaçadas.

O tema ganhou mais apelo por causa da pandemia. Os departamentos de marketing dos clubes procuram encontrar alternativas para suprir a ausência do público.

A CBV limita e não permite qualquer ação, ainda que seja nas arquibancadas.

O ‘não’ pode gerar prejuízo para os clubes que podem ser afetados com a saída dos patrocinadores caso a entidade não mude a linha praticada atualmente.

A conferir.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: