Bloqueio quase compromete vitória do BRASIL que tem Lucas Lóh e Éder aprovados.

Bloqueio quase compromete vitória do BRASIL que tem Lucas Lóh e Éder aprovados.

Bruno Voloch

23 Junho 2018 | 11h00

A vitória do BRASIL por 3 a 1 contra a Polônia pode trazer sérias consequências para o técnico Renan. Se deixar a política de lado e pensar no melhor para a seleção, o treinador terá uma bela dor de cabeça pela frente.

Éder e Lucas Lóh são os responsáveis.

Ambos vão ganhando espaço, confiança, entrosamento e ritmo de jogo. Lucão é intocável até pela força no ‘senado’. Éder não deve criar grandes expectativas.

Lucas não.

O futuro ponta do Sesi sobra em relação ao fraco Douglas Souza.

O caso de Evandro, apesar da ótima atuação, é atípico porque Wallace é indiscutivelmente o melhor da posição e não deixará o time. Nem pode.

O bom e surpreendente desempenho de Evandro diante dos poloneses só não chamou mais atenção que o baixíssimo e inexplicável aproveitamento da seleção no fundamento bloqueio.

2 pontos em 4 sets é inaceitável.

Números que não condizem com o passado e que certamente, se repetidos na fase final, irão comprometer o trabalho do BRASIL.

Aliás, quem é o responsável pelo treino de bloqueio na seleção? Esse deveria ser cobrado porque tá feio.

Contra a Polônia apenas Éder e Wallace pontuaram. O restante do time ficou zerado. Enquanto isso a Polônia, derrotada é verdade, marcou 12. Uma surra.

Se o bloqueio ficou devendo o BRASIL compensou no saque. Éder e Lucas Loh brilharam. 7 a 1.

No quesito ataque ninguém pontuou mais que Evandro. O oposto do Cruzeiro foi determinante para a vitória do BRASIL. Entrou a partir do segundo set e não saiu mais. É sem duvida uma alternativa confiável para substituir Wallace.