Bota a Julia, Zé!

Bota a Julia, Zé!

Bruno Voloch

11 de junho de 2019 | 12h11

Vencer o Japão nunca é fácil.

Atuando em casa com o apoio da fanática torcida é mais complicado ainda. A vitória da seleção brasileira por 3 a 1 foi o resultado mais significativo do BRASIL na temporada.

Jogo em que o sistema defensivo foi exigido e não fez feio. A recepção é que continua oscilando.

Não se prenda tanto pelos números, caso especifico de Paula Borgo.

Pela quantidade de bolas que recebeu, 47, era natural que saísse de quadra como maior pontuadora, o que não é grande vantagem com o baixo bloqueio do Japão. Paula é até esforçada, tem vivido seus momentos de fama, mas por pouco tempo. Não tem nível para estar na seleção e já provou que quando é para valer não vinga nem em clube.

As boas notícias foram o reaparecimento de Bia, destaque no bloqueio, e Julia que substituiu Amanda, pronta para sair de mãos dadas com Paula Borgo.

Já passou da hora do técnico dar uma oportunidade para Julia. Deixar ela literalmente se virar em quadra. Isso é renovação, pensar no futuro.