Camisa pesa, Hooker responde e Osasco avança.

Camisa pesa, Hooker responde e Osasco avança.

Bruno Voloch

22 Janeiro 2019 | 23h28

A camisa de Osasco falou mais alto.

Barueri, de José Roberto Guimarães, tinha a seu favor o fator quadra, jogava diante da torcida e vinha em clara ascensão na Superliga derrubando inclusive o Minas.

Era portanto favorito para avançar na Copa Brasil pela primeira vez na história.

Só que a responsabilidade não fez bem ao time que sentiu a obrigação de vencer e confirmar a vaga diante de um Osasco em baixa e desacreditado pela maioria.

Pressão essa que chegou ao banco e fez a comissão técnica de Barueri esquecer de voltar com Milka no fim do quarto set em situação rara e atípica.

Fato é que decididamente não dá para subestimar a tradição de Osasco que se transforma na hora da decisão.

E foi justamente o que aconteceu em Barueri na vitória por 3 a 1.

Osasco saiu atrás mas virou o jogo com autoridade, agressividade no saque e boa atuação da experiente levantadora Carol. E não foi só isso.

Hooker, quem diria, finalmente começa a responder.

A parceria com o técnico Luizomar de Moura, que teve paciência para recuperar a jogadora fisicamente, pode ainda dar caldo. O desempenho dela com 21 pontos é animador e dá esperança de dias melhores em Osasco.