Campinas e Fluminense dão esperança aos pequenos na Superliga.

Campinas e Fluminense dão esperança aos pequenos na Superliga.

Bruno Voloch

06 Novembro 2017 | 09h13

Valinhos, Sesi e o ‘penetra’ Brasília ganharam uma motivação a mais para lutar contra o rebaixamento entre as mulheres. O Fluminense, com campanha medíocre, é a maior decepção da Superliga.

O time carioca está se arrastando e perdeu 3 dos 4 jogos que disputou. Venceu apenas o fraco Brasília na estreia por 3 a 0. É hoje o décimo colocado com míseros 3 pontos.

E vem mais por aí.

O próximo adversário é o poderoso Osasco, ou seja, pode contabilizar mais uma derrota na conta. Jogar em casa ou fora tem sido indiferente.

A torcida não tem mais motivação. Hebraica, casa do Fluminense, está cada vez mais vazia.

Pior do que perder é não dar sinais de reação. O técnico Hylmer Dias parece perdido. Mexe de um lado, do outro, barra Michelle e nada acontece. O investimento não foi pequeno.

O Fluminense gastou muito mais do que os 3 adversários diretos. O orçamento supera inclusive o de São Caetano, nono lugar, e Pinheiros, sétimo.

O cenário pode ficar ainda mais complicado. Sesi e Valinhos se enfrentam pela quinta rodada. Um placar de 3 a 1, para que lado for, jogará o Fluminense para a zona do rebaixamento.

Campinas, no masculino, vive situação semelhante.

A diferença é que não corre o risco de cair. Nesse caso a briga continuará entre Caramuru, Juiz de Fora, Canoas e Maringá. Não vai fugir disso.

Só que é campanha é decepcionante. 4 jogos e apenas 6 pontos. A derrota para o Minas na última rodada deixa claro que Campinas não passará das quartas. Isso se chegar entre os 8.

Sim, porque pelo que vem apresentando até agora não será surpresa se parar antes dos playoffs.

A sorte de Campinas é que Canoas está voltando ao normal e tem muito time ruim na Superliga.