CBV mantém discurso, ganha apoio de Campinas e não pagará testes para Covid-19

CBV mantém discurso, ganha apoio de Campinas e não pagará testes para Covid-19

Bruno Voloch

25 de agosto de 2020 | 08h18

Não deu em nada a reunião entre os clubes e a CBV, Confederação Brasileira de Vôlei.

O encontro virtual serviria para tratar do protocolo de retorno da Superliga. Como o blog antecipou, a CBV, via um dos ‘jênios’, o superintendente Renato D’ávila, reafirmou que a entidade não irá pagar os custos envolvendo os testes para a Covid-19.

Vale ressaltar que a CBV economizou cerca de R$ 3 milhões com o cancelamento das finais na temporada passada.

O responsável pela competição sugeriu buscar parceiros. Segundo o blog apurou, a primeira opção seria o laboratório Hermes Pardini.

Campinas foi o único defendeu a posição da CBV, a de que os clubes devem arcar com os testes para a Covid-19. Não por acaso. O gestor do time paulista, Fernando Maroni, atua como supervisor da seleção brasileira masculina, ou seja, jogo de cartas marcadas.

No fundo não deixa de ser uma boa notícia para o projeto. Isso significa dizer que Campinas não tem problemas financeiros, diferente da maioria, e que não sentiu os efeitos da pandemia.

Tomara que o patrocinador do clube, Renata, esteja alinhado o pensamento do gestor.

E já que existe tanta verba sobrando, os responsáveis pela empresa deveriam cobrar um time mais competitivo e que finalmente deixe o papel cansativo de coadjuvante.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.