CBV pune Barueri que pune Osasco. Na bola

CBV pune Barueri que pune Osasco. Na bola

Bruno Voloch

08 de fevereiro de 2020 | 09h23

É na bola que se responde.

E assim fez Barueri contra Osasco.

A rivalidade por si só já seria suficiente para motivar as jogadoras.

Só que o clássico paulista ganharia ingredientes horas antes de ser disputado com a confirmação da suspensão de José Roberto Guimarães, punido pela CBV, via STJD (Superior Tribunal de Justiça Deportiva), 3 jogos pelo fato de ter mandado o time sair de quadra nas quartas de final da Copa Brasil contra o Praia Clube.

Decisão essa que não foi bem digerida por Barueri e muito menos pelas jogadoras.

O que se viu em quadra foi um time determinado, concentrado, agressivo, corajoso e respondendo na bola a punição imposta ao técnico. O melhor jogo de Barueri na Superliga, taticamente perfeito, coincidentemente sem o tricampeão olímpico no banco.

Osasco se viu nas cordas, e sem reação pagou o pato.

Acuado, se rendeu. Jogo para ser esquecido e que muda pouco em termos de classificação, mas que pode criar muito desconforto emocional.

Resultado que obrigatoriamente irá mexer com os brios dos envolvidos e aumenta pressão. Não é a primeira e não será a última vez.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: